©2018 by Next Level: Neurolanguage Coaching® for English Learning. Proudly created with Wix.com

It's not always your fault!

April 18, 2018

In Brazil, when somebody complains about their relationship because they don’t feel that their partner is making an effort to make the relationship work we usually say “well, it takes two people to have a relationship.” I never realized how powerful this comment was until I moved to the United States and started teaching English to speakers of other languages. You are probably wondering “Weren’t you talking about relationships?”  Yes, I was and I still am. Hang in there with me!

 

 

 

 

    I teach a group of students in a community-based program in the U.S. In our conversations about life in the U.S., my students express frustration because often times they try to talk to Americans and are not understood. This constant feeling of frustration ends up shaking their confidence to communicate in English.

 

    I will not lie, I had this feeling of frustration many times as well, though not as strong as it is in my students. There were some moments in which I interacted with people in stores and wasn’t understood; this even happened a few times at work. What about phone calls? I hate talking on the phone because I am a visual person and I really need to look at peoples’ lips, observe their body language, and also have some contextual clues to help me understand what is being said and interpret the communicative situation.

 

    What intrigues me about my students is that they are able to communicate in class and I can understand them. Actually, it’s not only me, but the people who work in the program are also able to understand them. Then, I started wondering, “what happens to my students when they are outside the classroom?” Well, there are many answers to this. However, I want to focus on the idea that communicating with someone is the same as having a relationship:

 

it takes two people to make it work.

 

    In a spoken interaction, all people involved need to be willing to listen and understand, otherwise the communication process won’t be successful. Being open to listen and understand means that you may ask for clarification when you don’t understand something, that you may give your opinion, ask questions to get more information, even disagree or show another point of view, and most importantly, show interest. Personally, I believe good communicators have some of the characteristics below:

 

  • Empathy.

  • Active listening.

  • Willingness to understand.

  • Interest.

  • Patience.

 

          So, next time you are interacting with someone, remember that it takes two people to communicate. You are not the only person responsible for making the communication successful. Keep that in mind and try to avoid feeling guilty next time somebody doesn’t understand you. After all, you may be doing your best while the other person is not.

 

Good luck on your learning journey!

 

Fernanda Carvalho is a Fulbrighter, certified Neurolanguage® Coach with a Master's in TESOL. She believes in a holistic approach to language learning, which involves people's development as a whole and not only language itself. You can find her on facebook @languagenextlevel and on Linkedin  https://www.linkedin.com/in/fcarvalhonextlevel .

 

 

 

TEXTO EM PORTUGUES

 

Não é sempre sua culpa!

 

    No Brasil, quando alguém reclama sobre o relacionamento porque não sente que seu (a) parceiro (a) está fazendo um esforço para que a relação funcione, costumamos dizer “bem, relacionamento é feito de duas pessoas, neh?”. Eu nunca tinha pensado no quanto esse comentário faz sentido até me mudar para os Estados Unidos e começar a ensinar inglês para estrangeiros. Você provavelmente está se perguntando "Você não estava falando sobre relacionamentos?" Sim, eu estava e ainda sou. Aguenta aí comigo!

 

    Eu ensino inglês um grupo de alunos em um programa comunitário nos EUA. Em nossas conversas sobre a vida nos EUA, meus alunos expressam frustração porque muitas vezes tentam conversar com americanos e não são entendidos. Esse sentimento constante de frustração acaba abalando sua confiança para se comunicar em inglês. Não vou mentir, tive esse sentimento de frustração muitas vezes também, embora não tão forte quanto em meus alunos. Houve alguns momentos em que eu interagi com pessoas em lojas e não fui entendida; isso aconteceu algumas vezes no trabalho também. E para falar ao telefone? Eu odeio falar ao telefone porque sou uma pessoa visual e realmente preciso olhar para os lábios das pessoas, observar sua linguagem corporal e também ter algumas pistas contextuais para me ajudar a entender o que está sendo dito e interpretar a situação.

 

    O que me intriga sobre meus alunos é que eles são capazes de se comunicar em aula e eu consigo entendê-los. Na verdade, não só eu, mas as pessoas que trabalham no programa também conseguem entendê-las. Então, comecei a pensar, “o que acontece com meus alunos quando eles estão fora da sala de aula?” Bem, há muitas respostas para essa pergunta. No entanto, quero focar na ideia de que comunicar-se com alguém é como ter um relacionamento:

são necessárias duas pessoas para que ele funcione.

 

    Em uma interação falada, todas as pessoas envolvidas precisam estar dispostas a ouvir e entender, caso contrário, o processo de comunicação não será bem-sucedido. Estar aberto para ouvir e entender significa que você faz perguntas quando não entende algo, da sua opinião, pede mais informações, discorda, mostra outro ponto de vista e, mais importante, demonstra interesse. Acredito que bons comunicadores tenham algumas das características abaixo:

 

- Empatia.

- Escuta ativa.

- Boa vontade para entender.

- Interesse.

- Paciência.

 

 

    Então, da próxima vez que você estiver interagindo com alguém, lembre-se de que são necessárias duas pessoas para que a comunicação aconteça. Você não é a única pessoa responsável pelo sucesso da comunicação. Tenha isso em mente e evite se sentir culpado da próxima vez que alguém não te entender. Afinal, você pode estar fazendo o seu melhor enquanto a outra pessoa talvez não esteja.

 

Boa sorte na sua jornada de aprendizado!

Please reload