©2018 by Next Level: Neurolanguage Coaching® for English Learning. Proudly created with Wix.com

Improve your English abroad

May 16, 2018

    Many people believe that they will improve their English if they travel abroad. It seems to be a fairly obvious assumption, doesn't it? Well, actually, not so much.

 

    When I was living in the U.S., I met many people who had been living there for nearly a year and were still not feeling confident about their English or noticing much improvement. As you can imagine, this situation can bring a lot of frustration since we assume that being in an English-speaking country will bring that so-long-desired fluency. Some people even think that it’s impossible to gain fluency if you don’t spend some time abroad. While it’s true that traveling abroad can help you improve your English, the belief that it’s impossible not to do so living in your native country isn’t true. I achieved advanced level in English living in Brazil my whole life only moving to the U.S. when I was 26 (I am currently 29).

 

    If you decide to travel abroad, whether to work, study, or for tourism, and wish to improve your English in this period, you should keep some points in mind to make sure you will gain more confidence to communicate in English.

 

  • Set goals.

  • Challenge yourself.

  • Acknowledge your achievements.

 

 

Set Goals

 

    One of the most important aspects in coaching is goal setting. When we don’t set a goal, we don’t know where we are going, which means that we may not be able to recognize our achievements when they come. And they WILL come! There are two types of goals: long-term and short-term. Let´s imagine that you want to travel to Hawaii. What do you need to do to achieve this goal? Well, first you need to search for cheap tickets, unless you’re rich (in this case, God bless you!), buy some summer clothes, talk to your boss to arrange the best day to go on vacation (actually, you should probably do it first before buying your tickets), etc. After you do all of that, you will be ready to go to Hawaii and enjoy your awesome vacation! In this example, traveling to Hawaii is your long-term goal, that is, your destination. All the small steps that you need to take before actually going to Hawaii are your short-term goals. You need to be strategic and smart to set goals, otherwise you will be setting yourself to disappointment.

 

    Ok, Fernanda, but what does it have to do with improving my English? Well, EVERYTHING! Before traveling abroad, define your long-term goal, being as specific as possible. Then, make a list with at least three short-term goals to achieve during your trip. This is what I do with my clients who travel abroad for tourism. Long-term and short-term goals will vary according to the needs and interests each client has and even the context where they will be. Let’s imagine that you are attending a conference in the U.S. next month. One example of long-term goal could be “to add at least five people to my professional network”. Here are three short-term goals that could support that: 1) Introduce yourself to two presenters at the end of their presentations, congratulate them on their presentations, and ask a question. 2) Start a conversation with two people during the lunch break. 3) Arrive earlier in one of the presentations and start a conversation with someone who is sitting next to you.

 

    Now, imagine that you were able to achieve goal number 1, how do you think you would feel? More confident to achieve goal number 2? Imagine that the conference is over and you are on your flight going back home. Then, you check your list and see that you have achieved all your goals. How would you feel? Great, right? Our brain needs short-term goals to feel motivated along the way and to see where you want to go while the long-term goal gives you a boost of energy and a great sense of achievement. You may say, “but this long-term goal had nothing to do with language improvement”. Language is communication, never forget that! You shouldn’t separate language from real life. Actually, you should make an effort to always connect language learning to things that you do in your daily life. Goals need to be relevant, otherwise you won’t get the energy you need to achieve them. So, if you are traveling abroad, no matter what for, wishing to improve your English, make sure you have your list of goals in your pocket. Remember: goals are defined based on your needs, interests, and context. Make them personal! Don’t copy goals from a book or anybody else.

 

 

Challenge yourself

 

    Think about something that you like to do or that you simply know how to do. It could be cooking, skating, playing games, swimming, and so on. I will start with my own example. I am not a big fan of cooking, so I keep preparing the same meals, like pasta, chicken, rice, and mashed potatoes. (Now you already know the menu when I invite you to have lunch in my house). I have been cooking these meals for ages. So, just repeating the action of cooking them doesn’t increase my confidence in cooking. However, there was another day when I prepared grilled chicken with stuffed potato, using different herbs and sauce. It was superb! I felt great about that dish and it was hard to believe that I cooked it by myself.

 

   I swear I didn’t want to make you hungry with this short story! The point here is that, although repetition is important, it doesn’t take you to the next level. What takes you to the next level are challenges! When you use your skills in different contexts, to do something different, in a situation where you don’t have so much control, you are getting out of your comfort zone. You may feel uncomfortable at first, but the feeling of succeeding is amazing! It’s like getting into a waterfall. It’s SO hard to put your feet into the water at first, but when you dive and feel your whole body underwater, you see that it was worth it!

 

    What kind of challenges you think you could take abroad to feel more confident about your communication in English; Some examples could be to go out by yourself (supermarket, bookstore, mall, etc), talk to at least two people you’ve never met before, go to a religious gathering (if you are religious), attend a book club, go to a dance class, etc. Challenges add more excitement to your learning process and help you visualize your progress.

 

 

Acknowledge your achievements

 

    Why is it so hard to say, “I can see that I am improving. I did a good job in that conversation. I understood this conversation much better than before”? It’s easier for us to see what we are doing wrong than what we are doing right. As a result, we have the feeling that we are never good enough. You need to be able to see your victories so that your brain can have the sense of achievement and send you more energy to achieve even more. Learn how to celebrate and pat yourself in the back when you achieve your short-term and long-term goals, registering in your brain how good it feels when you are able to communicate your ideas, understand people, and be understood.

 

    I once listened to a podcast about neuroscience saying that our brain was trained for survival because that’s how our forefathers had to live in the past. For this reason, we focus so much on dangers and negative things because they threaten our survival.  In the modern world, we need to teach our brain how to enjoy good feelings. We usually work so hard to achieve our goals but don’t spend so much time enjoying our achievements. Feelings of success and achievement need to be noticed and registered so that our brain can create and reinforce the path to achieve them again.

 

Next time you travel abroad, don’t forget to pack your goals as well!

 

Good luck on your learning journey!

 

 

Fernanda Carvalho is a Fulbrighter, certified Neurolanguage® Coach with a Master's in TESOL. She believes in a holistic approach to language learning, which involves people's development as a whole and not only language itself. You can find her on facebook @languagenextlevel and on Linkedin https://www.linkedin.com/in/fcarvalhonextlevel . 

 

 

 

VERSÃO EM PORTUGUÊS

 

Melhore seu inglês no exterior

 

Muitas pessoas acreditam que vão melhorar seu inglês se viajarem para o exterior. Parece ser uma suposição bastante óbvia, não é? Bem, na verdade, nem tanto.

 

Quando eu morava nos EUA, conheci muitas pessoas que moravam lá há quase um ano e ainda não estavam se sentindo confiantes no inglês ou notando muita melhora. Como você pode imaginar, esta situação pode trazer muita frustração, pois achamos que estar em um país de língua inglesa trará a tão desejada fluência. Algumas pessoas até pensam que é impossível ganhar fluência se você não passa algum tempo no exterior. Embora seja verdade que viajar para o exterior possa ajudar você a melhorar seu inglês, a crença de que é impossível alcançar fluência morando no seu país de origem é falsa. Alcancei nível avançado em inglês vivendo no Brasil toda a minha vida apenas mudando para os EUA quando tinha 26 anos (atualmente tenho 29 anos).

 

Se você decidir viajar para o exterior, seja para trabalhar, estudar ou para turismo, e desejar melhorar seu inglês nesse período, tenha em mente alguns pontos para ganhar mais confiança para se comunicar em inglês.

  • Defina objetivos. 

  • Desafie-se.     

  • Reconheça suas conquistas.

Defina objetivos

 

Um dos aspectos mais importantes em coaching é a definição de objetivos. Quando não temos um objetivo, não sabemos para onde estamos indo, o que significa que podemos não reconhecer nossas conquistas quando elas chegarem. E elas virão! Existem dois tipos de objetivos: longo prazo e curto prazo. Vamos imaginar que você queira viajar para o Havaí. O que você precisa fazer para atingir esse objetivo? Bem, primeiro você precisa procurar por passagens baratos, a menos que você seja rico (neste caso, Deus te abençoe!), comprar algumas roupas de verão, conversar com seu chefe para marcar o melhor dia para sair de férias (na verdade, você deveria provavelmente fazer isso primeiro antes de comprar seus ingressos), etc. Depois de fazer tudo isso, você estará pronto para ir ao Havaí e desfrutar de suas maravilhosas férias! Neste exemplo, viajar para o Havaí é seu objetivo a longo prazo, ou seja, seu destino. Todos os pequenos passos que você precisa tomar antes de ir ao Havaí são seus objetivos a curto prazo. Você precisa ser estratégico e inteligente para definir metas, caso contrário, você poderá se frustrar mais facilmente.    

 

Ok, Fernanda, mas o que isso tem a ver com melhorar meu inglês? Bem, tudo! Antes de viajar para o exterior, defina seu objetivo a longo prazo, sendo o mais específico possível. Em seguida, faça uma lista com pelo menos três obejetivos a curto prazo para alcançar durante sua viagem. Isso é o que faço com meus clientes que viajam ao exterior para turismo. As metas de longo prazo e de curto prazo variam de acordo com as necessidades e interesses de cada cliente e até mesmo do contexto em que estarão. Vamos imaginar que você participará de uma conferência nos EUA no próximo mês. Um exemplo de meta a longo prazo poderia ser “adicionar pelo menos mais cinco pessoas à minha rede profissional”. Aqui estão três metas de curto prazo que podem apoiar objetivo: 1) Apresentar-se a dois palestrantes no final de suas apresentações, parabenizá-los por suas palestras e fazer uma pergunta. 2) Iniciar uma conversa com duas pessoas durante o intervalo do almoço. 3) Cheguar mais cedo em uma das apresentações e iniciar uma conversa com alguém que esteja sentado ao seu lado.

 

Agora, imagine que você conseguiu atingir o objetivo número 1, como você acha que se sentiria? Mais confiante para atingir o objetivo número 2? Imagine que a conferência acabou e você está no seu vôo voltando para casa. Então, você verifica sua lista e vê que alcançou todos os seus objetivos. Como você se sentiria? Ótimo, não é? Nosso cérebro precisa de objetivos de curto prazo para se sentir motivado ao longo do caminho e para ver onde você quer ir, enquanto o objetivo de longo prazo lhe dá um impulso de energia e um grande senso de realização. Você pode dizer: “mas essa meta de longo prazo não tem nada a ver com melhorar o inglês”. Língua é comunicação, nunca esqueça disso! Você não deve separar a linguagem da vida real. Na verdade, você deve se esforçar para sempre conectar o aprendizado de idiomas às coisas que você faz em sua vida diária. Os objetivos precisam ser relevantes, caso contrário, você não terá a energia necessária para alcançá-los. Então, se você estiver viajando para o exterior, não importa para que, querendo melhorar o seu inglês, certifique-se de ter sua lista de objetivos no com você. Lembre-se: objetivos são definidos com base em suas necessidades, interesses e contexto. Torne-os relevantes para você! Não copie metas de um livro ou de qualquer outra pessoa.

 

Desafie-se

 

Pense em algo que você gosta de fazer ou que simplesmente sabe fazer. Pode ser cozinhar, patinar, jogar vídeo game, nadar e assim por diante. Vou começar com meu próprio exemplo. Eu não sou muito fã de culinária, então continuo preparando as mesmas refeições, como macarrão, frango, arroz e purê de batatas. (Agora você já sabe o cardápio quando eu convidar você para almoçar na minha casa). Eu tenho cozinhado estas refeições por muito tempo. Então, apenas repetir a ação de cozinhá-las não aumenta minha confiança na culinária. Porém, esses dias eu preparei frango grelhado com batata recheada, usando diferentes ervas e molhos. Ficou uma delícia! Eu me senti muito bem com esse prato e foi difícil acreditar que eu tinha cozinhado aquilo sozinha.

 

Eu juro que não quiz te deixar com fome com essa pequena história! O ponto aqui é que, embora a repetição seja importante, ela não leva você ao próximo nível. O que te leva ao próximo nível são desafios! Quando você usa suas habilidades em diferentes contextos, para fazer algo diferente, em uma situação em que você não tem tanto controle, você está saindo da sua zona de conforto. Você pode se sentir desconfortável no começo, mas a sensação de sucesso é incrível! É como entrar em uma cachoeira. É tão difícil colocar os pés na água no início, mas quando você mergulha e sente todo o seu corpo embaixo d'água, percebe que valeu a pena!

 

Que tipos de desafios você acha que poderia fazer no exterior para se sentir mais confiante em sua comunicação em inglês? Alguns exemplos podem ser sair sozinho (supermercado, livraria, shopping, etc), conversar com pelo menos duas pessoas que você nunca viu antes, ir a um encontro religioso (se você é religioso), ir a um clube do livro, ir para uma aula de dança, etc. Desafios dão mais emoção ao seu processo de aprendizagem e ajudam você a visualizar seu progresso.

 

Reconheça suas conquistas     

 

Por que é tão difícil dizer: “Eu sinto que estou melhorando. Eu me comuniquei bem nessa conversa. Eu entendi essa conversa muito melhor do que antes ”? É mais fácil para nós vermos o que estamos fazendo de errado do que o que estamos fazendo certo. Como resultado, temos a sensação de que nunca somos bons o suficiente. Você precisa ser capaz de ver suas vitórias para que seu cérebro possa ter a sensação de realização e te enviar mais energia para ir mais além.

 

Aprenda a celebrar e te dar créditos quando atingir seus objetivos de curto e longo prazo, registrando em seu cérebro o quanto se sente bem quando consegue comunicar suas ideias, entender as pessoas e ser compreendido.   Outro dia escutei um podcast sobre neurociência dizendo que nosso cérebro foi treinado para a sobrevivência porque é assim que nossos antepassados ​​tiveram que viver. Por essa razão, nos concentramos tanto em perigos e coisas negativas porque elas ameaçam nossa sobrevivência. No mundo moderno, precisamos ensinar nosso cérebro a desfrutar de bons sentimentos. Geralmente, trabalhamos tanto para atingir nossas metas, mas não gastamos muito tempo aproveitando nossas conquistas. Sentimentos de sucesso e realização precisam ser notados e registrados para que nosso cérebro possa criar e reforçar o caminho para alcançá-los novamente.

 

Na próxima vez que você viajar para o exterior, não se esqueça de colocar sua lista de objetivos na mala!

 

Boa sorte na sua jornada de aprendizado!

 

 

    Please reload